Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > CMTU inicia estudo técnico nas ruas para novos radares
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

CMTU inicia estudo técnico nas ruas para novos radares

Agentes de trânsito não uniformizados vão mapear o comportamento real dos condutores – sem a emissão de multas

A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) iniciou nesta quinta-feira (7) um estudo técnico para analisar a viabilidade de ampliação da fiscalização eletrônica em Londrina. O levantamento inclui a contagem e tipificação das infrações observadas, além de aferição do volume de veículos e da velocidade média nas vias. Realizada com a utilização de radares móveis e por agentes sem uniforme, a sondagem não tem caráter fiscalizador e não envolve a emissão de multas. O objetivo é reunir informações consistentes e fidedignas sobre o comportamento do condutor nos locais pesquisados.

De acordo com o diretor de Trânsito da CMTU, Pedro Ramos, a descaracterização dos servidores tem a ver com a postura dos motoristas, que automaticamente reduzem a velocidade quando avistam a fiscalização. “Caso realizássemos este estudo com agentes uniformizados, os resultados obtidos certamente apresentariam uma realidade mascarada. Na presença do agente, é raro que alguém cometa infrações deliberadamente. E a nossa intenção é mapear a conduta real das pessoas”, disse.

Ramos contou que a partir do levantamento serão apontadas as localidades onde efetivamente há a possibilidade de implementação da fiscalização eletrônica. “Temos mais de 50 pontos que, a princípio, poderiam receber os dispositivos. No entanto, somente a pesquisa in loco será capaz de determinar quais serão eles. Pode ser que a iniciativa indique mais ou menos lugares, e até outros pontos não aventados inicialmente”, explicou.

O diretor ressaltou que, durante o levantamento, os veículos flagrados em velocidade acima do permitido não serão autuados. Também não haverá a emissão de multas para outros tipos de irregularidade, como conversões e retornos proibidos, falta do cinto de segurança ou avanço de parada obrigatória, por exemplo. No entanto, a fiscalização regular – essa, sim, com agentes devidamente uniformizados e viaturas identificadas - continuará a ocorrer normalmente na cidade.

Atualmente, Londrina conta com 22 áreas de patrulhamento eletrônico. Metade dos equipamentos faz somente o controle de velocidade e a outra metade, além do radar, vigia também o avanço de sinal vermelho e a parada sobre a faixa de pedestres. O estudo da companhia não tem data para ser concluído, mas a expectativa é que os novos dispositivos entrem em funcionamento neste ano.

Registrado em:
Fim do conteúdo da página